Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2008

O Perigo do Silêncio

Diamantina, Interior de Minas Gerais, 1914.



O jovem Juscelino Kubitschek, de 12 anos, ganha seu primeiro par de sapatos.

Passou fome. Jurou estudar e ser alguém. Com inúmeras dificuldades, concluiu o curso de "Medicina" e se especializou em Paris.



Como "Presidente", modernizou o Brasil. Legou um rol impressionante de obras e humilde e obstinado, era (E AINDA É) querido por todos.



Brasília, 2003.



Lula assume a presidência. Arrogante, se vangloria de não haver estudado.

Acha bobagem falar inglês. "Tenho diploma da vida", afirma.

E para ele basta. Meses depois, diz que "ler é um hábito chato".



Quando era "Sindicalista", percebeu que poderia ganhar sem estudar e sem trabalhar - sua meta até hoje.



==============================================

Londres, 1940 (2a Guerra Mundial).



Os bombardeios são diários, e uma invasão aeronaval nazista é eminente.

O primeiro-ministro W. Churchill pede ao rei George VI que vá para o Canadá.





Tranqüilo, o re…

Talvez o amor

Talvez o amor seja como um lugar de descanso
Um abrigo da tempestade
Ele existe para te dar conforto
Ele está lá para te manter aquecido
E nas horas de turbulência
Quando mais você está sozinho
A lembrança de um amor te levará para casa

Talvez o amor seja como o oceano
Cheio de conflitos, cheio de dor
Como uma lareira quando faz frio lá fora
Como o trovão quando chove
E se eu vivesse para sempre
E todos os meus sonhos fossem realizados
Minha lembrança de amor seria de você

Talvez o amor seja como uma janela
Talvez uma porta aberta
Ele te convida a chegar mais perto
Ele quer te mostrar mais
E mesmo que você se perca
E não saiba o que fazer
A lembrança de um amor fará você superar tudo

O amor para alguns é como uma nuvem
Para outros, tão forte quanto o aço
Para alguns um modo de vida
Para outros uma forma de sentir
E alguns dizem que o amor está suportando
E outros dizem "deixa ir"
E alguns dizem que o amor é tudo
Outros dizem que não sabem

Talvez o amor seja como o oceano
Cheio de conflitos, cheio de dor
C…

Caminhos...

Faz um bom tempo que não escrevo sobre mim por aqui.
Não senti-me inspirado para escrever qualquer coisa que seja.
Mas estou estranho esses dias, me sinto triste, cansado, paranóico. Cheio de "janelas killer" abertas e com um monte de impurezas entrando.
Um dos motivos que pensei que fosse a causa de tudo isso seria meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), as pessoas contidas no grupo e a forma de trabalho delas que estão me incomodando, mas observei dentro de mim mesmo e vi que existe algo mais.
Ando tendo Flashbacks de quase tudo que aconteceu na minha vida, desde a minha infância até agora. Passando por brigas, calúnias, chateações, medos, raivas, desistências, falta de estímulo, punições, receios, privações, demissões, dúvidas. Coisas que em uma pessoa normal seriam tidas como insuportáveis, sofríveis, mas no Russo seria algo normal. Russo? Fico lembrando como surgiu e porquê surgiu e não se foi mais da minha vida esse falso cognitivo da minha vida. Sou Russo? Sou de São Pe…

Tristeza...

Imagem
Jade, sei como é sua dor, mas você foi a melhor Ginasta Brasileira de todos os tempos...

Infarto feminino - informação médica

Ela comentou que não se sentia bem... Lhe doíam as costas.... Ia

deitar-se um pouco até que passasse... Um tempo mais tarde seu esposo foi

ver como ela estava e a encontrou sem respirar... Não a puderam reviver.

Eu sabia que os ataques cardíacos nas mulheres são diferentes, mas nunca

imaginei nada como isto. Esta é a melhor descrição que li sobre esta

terrível experiência...

Sabias que os ataques cardíacos nas mulheres raramente apresentam os

mesmos sintomas 'dramáticos' que anunciam o infarto nos homens? Me refiro à

dor intensa no peito, o suor frio e o desfalecimento (desmaio, perda de

consciência) súbito que eles sofrem e que vemos representados em muitos filmes.

Para que saibam como é a versão feminina do infarto, uma mulher que

experimentou um ataque cardíaco nos vai contar sua história:

'Eu tive um inesperado ataque do coração por volta de 22h30min, sem haver

feito nenhum esforço físico exagerado nem haver sofrido algum trauma

emocional que pudesse desencadeá-lo. Estava sentada…