O Coruja das coisas…

O mundo ao alcance de seus olhos…

Archive for the ‘Informática’ Category

TAC commercial

On December 10th 1989 the first TAC commercial went to air. In that year the road toll was 776; by last year 2008 it had fallen to 303.
A five minute retrospective of the road safety campaigns produced by the TAC over the last 20 years has been compiled. The montage features iconic scenes and images from commercials that have helped change they way we drive, all edited to the moving song Everybody Hurts by REM.

This campaign is a chance to revisit some of the images that have been engraved on our memories, remember the many thousands of people who have been affected by road trauma and remind us all that for everyones sake; please, drive safely.
Transport Accident Commission Victoria.
http://www.tac.vic.gov.au
======================
“Copyright in the material on this website is owned by the TAC and may only be used for non-commercial personal or educational purposes. You may not modify, transmit or revise the contents of this website without the prior written permission of the TAC.”

Comments may not be published if they do not add to the discussion, are offensive, repetitious, illegal or meaningless, contain clear errors of fact or are in poor taste.

Os mainframes

Mainframes são coisa do passado para a maior parte dos viciados em tecnologia. No entanto, eles podem estar reconquistando parte de sua popularidade. Embora a maior parte das empresas prefira usar bancos de dados menores e mais baratos, algumas gostam da segurança, confiabilidade e facilidade de manutenção dos antigos mainframes.

Para muitas, não existe escolha. Bancos, por exemplo, são obrigados a usar aplicativos criados há décadas, pois mover todas as informações das contas de seus clientes seria um processo caro e, em alguns casos, impossível. Segundo Rakesh Kumar, de uma empresa de pesquisa de marketing, as companhias que podiam abandonar os mainframes já o fizeram.

A IBM, a única grande empresa a ainda vender os mainframes, está tentando mudar o cenário atual. A empresa está focando suas vendas em mercados emergentes, como a China, que precisa de mainframes para lidar com o crescimento de seus bancos. O novo mercado que se abriu a computação em “nuvens” também é promissor. Outras empresas se deram conta do potencial dos mainframes, e já começam a competir com a IBM.

CWB755

As comunidades que participa e o que escreve podem prejudicar a sua imagem na empresa ou até em uma entrevista de emprego. Especialista em mercado de trabalho fala sobre o assunto e ajuda a identificar os pontos negativos na sua página pessoal

O Orkut é um site de relacionamentos muito utilizado pelos brasileiros e nele pode ser acrescentado ao perfil o que quiser. Além disso, também é possível participar das mais diversas comunidades que se tenha interesse e familiaridade. “Mas o problema é quando isso invade a vida profissional”, diz Renato Grinberg, diretor Geral do portal de empregos Trabalhando.com.br. “Comunidades como ‘Eu odeio trabalhar’ e ‘Detesto receber ordens’, por exemplo, podem agregar valor negativo à imagem do funcionário”, acrescenta.

Por isso, é preciso tomar cuidado com o que é colocado na internet, pois a visibilidade é muito grande. O Orkut, em especial, domina o mercado de redes sociais no Brasil com, aproximadamente, 18 milhões de usuários no país, segundo dados fornecidos pelo Google. Isso corresponde a 51% dos usuários da ferramenta em todo o mundo. E hoje não só jovens utilizam a ferramenta, como era quando ela surgiu, em 2004, mas também pessoas mais velhas, que já se comunicam por meio dele.

Para que seu Orkut não o prejudique, Renato Grinberg apresenta perfis comuns entre os usuários que precisam ter atenção redobrada para não gerar conseqüências à imagem profissional. E alerta: “Caso se identifique com alguns deles, cuidado! Pode estar na hora de mudar”.

  • O preguiçoso – É aquela pessoa que diz odiar acordar cedo e assume não gostar de trabalhar. Normalmente, o preguiçoso participa de várias comunidades que visam confirmar essa característica. As mais comuns são: “Eu odeio acordar cedo” e “Se trabalho fosse bom não era pago”;


  • O acomodado – “Se nada der certo viro hippie”. Quase 300 mil pessoas compartilham do mesmo desejo caso seus planos não vinguem no futuro. O acomodado não possui ambição de crescer profissionalmente e está feliz na posição que ocupa na empresa. A impressão que passa ao chefe ou recrutador é de que essa pessoa não tem visão de futuro que possa contribuir para o crescimento da companhia;
  • O bitolado – Essa é uma pessoa que gosta somente de uma coisa em específico. Pode ser um gosto musical, ideais e até mesmo uma única visão para a área de atuação. Isso é revelado nas diversas comunidades que participa sobre o mesmo tema, nas fotos e também na descrição do perfil escrita pelo usuário. Todos temos preferências, mas é preciso tomar cuidado para não parecer inflexível;


  • O baladeiro – Ele faz questão de mostrar a todos que gosta – e muito – de festas. Até então não há problemas, essa é uma questão pessoal que não influencia no trabalho. Mas a questão se agrava quando a situação é exagerada e as comunidades mostram irresponsabilidade. Como por exemplo: “Da balada ao trabalho” e “Eu trabalho de ressaca”. Com isso, essa pessoa mostra ser irresponsável e que não se importa com bom desempenho no dia seguinte;


  • O reclamão – É aquela pessoa que reclama de tudo: da vida, do trabalho, dos compromissos, dos chefes e até mesmo dos amigos. Normalmente adere a diversas comunidades que começam com “Eu odeio”, é pessimista e nunca está satisfeita. Imagine se o seu chefe olha seu Orkut e, de repente, encontra a comunidade “Eu odeio meu chefe”. O mais curioso é que as pessoas já sabem que correm esse risco e aderem à “Socorro, meu chefe está no Orkut!”. Assim sendo, é melhor rever seu perfil para que seu trabalho não seja comprometido.


Como ressalta Grinberg, é importante esclarecer que não precisamos esconder nossas preferências aos amigos nas redes sociais, mas é importante ter cautela. “As informações pessoais tornaram-se públicas, uma vez que inseridas e disponibilizadas na internet. Isso quer dizer que qualquer pessoa pode ter acesso”, diz. “Não vejo problemas em mostrar sua personalidade por meio desses sites de relacionamento, mas antes de tudo, use o famoso bom senso”, recomenda.

Fonte: Renato Grinberg – www.administradores.com.br

Para navegas, eis os navegadores

Navegador de Internet

Navegadores de Internet

Embora a Microsoft ainda domine o mercado de navegação na internet, sua força está diminuindo.

O anúncio da Google sobre o lançamento de um novo sistema operacional é o golpe mais recente da empresa contra sua principal concorrente, a Microsoft. O Chrome OS será uma extensão do Chrome, o navegador da Google lançado há nove meses.

Em maio deste ano o Chrome alcançou a cota de 1,8% do mercado de navegação. O Internet Explorer ainda tem a maior participação, cerca de 66%, mas há dois anos era de quase 80%.

Estes números, no entanto, não refletem a proporcionalidade de utilização dos navegadores em ambientes empresariais. Segundo algumas estimativas, a Microsoft tem mais de 90% do mercado quando se trata dos computadores de redes corporativas.

Fim do Pregão de Viva Voz da BM&F

Jogos como ferramentas para o Administrador

Há muito tempo discutem sobre o efeito de alguns jogos como ferramenta para a melhora do raciocínio dos profissionais. Jogos como Xadrez, Damas, Poker, Truco, Uno etc. tem uma contribuição de grande valia no treino dos profissionas, uma vez que os forma a pensar e buscar soluções. Os profissionais que exercem principalmente cargos de gestão e análise detro das empresas deveriam aderir a jogos como forma de treino cerebral e ativar o comportamento analítico na busca por soluções e oportunidades. Assim é muito mais fácil transportar esse potencial para os negócios.

Durante o curso universitário, é muito comum o aprendizado do truco, porém esse jogo é considerado por alguns como um jogo unicamente para jovens, uma vez que utiliza de diversas “dicas” entre os participantes, porém há duas formas de entretenimento que são considerados para todas as idades e que possuem um bom nível de percepção lógica que são o Xadrez e o Poker.

Jogar Poker longe de ser um evento exclusivo para ricos, é uma forma de entretenimento que todos podem ter acesso e se entreter ao mesmo tempo que estão recebendo uma contribuição pessoal em seu modo de pensar.

Existem hoje em dia, milhares de sites que disponibilizam jogos para o entretenimento dos internautas, alguns destes são jogos mais básicos como Mario ou Sonic, outros disponibilizam Xadrez que possui inclusive competições internacionais e até mesmo RPG como Ragnarok.

Existe um site que disponibiliza o jogo do Poker para os internautas, chamado Pokerface Brasil. Este site possui torneios e premiações aos participantes e é uma boa forma de se entreter e buscar vencer desafios através das cartas do baralho.

O Pokerface Brasil traz algo interessante em relação a outros sites, pois, além de disponibilizar o jogo, está também com uma promoção em que o participante ganha US$ 100,00 (cem dólares) nas classificatórias. Quer dizer, além de jogar e se divertir ainda há a possibilidade de ganhar quantias em dinheiro.

Além destes jogos há uma infinidade de outros que podem ser utilizados pelos profissionais, mas vale muito mais a insistência do jogador em tentar uma segunda vez, afinal, ninguém nunca ficou conhecido por desistir de algo. É sempre importante a busca por formas de crescer em entendimento e superação de desafios e desafiantes.

Os 25 nomes a serem seguidos no Twitter

Advertising Age preparou uma lista com os nomes mais interessantes do marketing para serem seguidos na rede social

Twitter

@nivaldorusso

No espírito da Twitter’s Follow Fridays, dia no qual os usuários sugerem pessoas interessantes para serem seguidas na rede social, Advertising Age ofereceu na última sexta-feira, 29, uma lista com pessoas dos mercados de mídia e marketing que deveriam ser seguidas pelos profissionais dessas áreas.

Acompanhe:

Pete Cashmore, CEO da Mashable, blog de mídia social
Follow: @mashable

Nieman Lab, Laboratório de jornalismo Nieman em Harvard
Follow: @NiemanLab

John Battelle, chairman e CEO da Federated Media
Follow: @johnbattelle

Jeff Lanctot
, diretor de estratégia da Razorfish
Follow: @lanctot

Jennifer Preston
, editora de mídia social do New York Times
Follow: @NYT_JenPreston

David Carr
, colunista de mídia do New York Times
Follow: @carr2n

Big Spaceship
, Agência de criação digital
Follow: @bigspaceship

Mark Cuban
, proprietário da HDNet e do time de basquete Dallas Mavericks
Follow: @mcuban

Paula Drum
, ex-diretor de marketing da H&R Block
Follow: @pauladrum

Richard Ting
, vice-presidente de mobile e plataformas emergentes da R/GA
Follow: @flytip

Mrinal Desai
, vice-presidente de vendas da CrossLoop
Follow: @mrinaldesai

David Berkowitz
, diretor de mídias emergentes na 360i
Follow: @dberkowitz

Amy Worley
, vice-presidente de marketing da Andrews McMeel Publishing
Follow: @worleygirl

Charles Arthur
, editor de tecnologia no The Guardian
Follow: @charlesarthur

Brad Adgate
, diretor de pesquisa na Horizon Media
Follow: @badgate

Brian Lam
, diretor editorial da Gizmodo
Follow: @blam

Jacob Harris
, arquiteto de software no New York Times
Follow: @harrisj

Nick Bilton
, editor de design no New York Times
Follow: @nickbilton

Jack Shafer, colunista de mídia
Follow: @jackshafer

Dave Knox, gerente de marca da Procter&Gamble
Follow: @daveknox

Chris Anderson, editor da revista Wired
Follow: @chr1sa

Rishad Tobaccowala, CEO da Denuo
Follow: @rishadt

Soraya Darabi, gerente de parceria, multimídia e buzz marketing do New York Times
Follow: @sorayad

Sree Sreenivasan
, professor da Columbia Journalism School
Follow: @sreenet

Fred Wilson
, sócio diretor das financeiras Flatiron Partners e Union Square Ventures
Follow: @fredwilson

Fonte: M&M online

Foi aprovada hoje a aquisição de parte BearingPoint pela PricewaterhouseCoopers, numa transação avaliada em 44 milhões de dólares.

O aval foi dado pela Corte de Falências de Nova York e inclui  dois dos centros globais da BearingPoint – em Shanghai, na China, e em Bangalore, na Índia. A BearingPoint, que entrou em concordata em fevereiro, havia assinado uma carta de intenções com a PWC para vender parte dos negócios nos Estados Unidos por 25 milhões de dólares.

PricewaterhouseCoopers

O network de firmas internacionais que forma a PWC parece satisfeito com a aquisição. Em comunicado à imprensa, Juan Pujadas, líder global de consultoria da PWC, disse que a absorção dos ativos da BearingPoint Commercial Services faz parte do projeto estratégico de crescimento dos serviços de consultoria em longo prazo.

Assim que a transação for concluída – o que deve acontecer nos próximos meses, a PWC assumirá os contratos da BearingPoint.

Fonte: Info

Curiosidade sobre cartório

  • quarta-feira maio 27,2009 07:52 PM
  • By Russo
  • In Blog

Uma curiosidade sobre cartórios da cidade de São Paulo.

Quando é feito um reconhecimento de firma, há uma divisão entre os recusos obtidos.

Oficial R$1,82

Estado R$0,50

IPESP R$0,38

Registro Civil R$0,09

Tribunal de Justiça R$0,09

Santa Casa R$0,02

Total R$2,90

Relação entre Cibernética e Administração

A cibernética é a ciência da comunicação e do controle, seja nos seres vivos, ou seja nas máquinas. A comunicação é que torna os sistemasintegrados e coerentes e o controle é que regula o seu comportamento. A cibernética compreende os processos físicos, fisiológico, psicológicosetc. de transformação da informação.

A cibernética é uma teoria dos sistemas de controle baseada na comunicação entre os sistemas e o meio/ambiente e dentro do próprio sistema.

As empresas são sistemas excessivamente complexos (extremamente complicados e não podem ser descritos de forma precisa e detalhada), probabilísticos (é aquele para o qual não poderá ser fornecida uma previsão detalhada) e regulamentados que funciona como organismos vivos, que desenvolvem técnicas de sobrevivência num ambiente interno e externo em alteração continua.

Na cibernética procura-se representar os sistemas originais através de outros sistemas comparáveis, que são denominados modelos. Um modelo provisório que o representa, para facilitar o tratamento das entidades evolvidas no estudo, pois a manipulação de entidades (pessoas e organização) é socialmente inaceitável ou legalmente proibida.

No caso da administração, por exemplo, a cibernética pode envolver estudos sobre: pessoas, áreas, departamentos, unidades de negócios, empresas, grupos empresariais, etc.

A cibernética também está associada ao uso de sistemas de comunicação e conseqüentemente aos seus componentes, que são vitais para troca de informações da organização com o ambiente e dentro dela mesma.

FONTE => TRANSMISSOR => CANAL/MEIO => RECEPTOR => DESTINO

As principais conseqüências da cibernética na administração

Com a mecanização que se iniciou com a Revolução Industrial, o esforço muscular do homem passou para a máquina. Porém com a automação provocada pela Cibernética, muitas tarefas que cabiam ao cérebro humano passaram para a máquina. A Cibernética está levando a uma substituição do cérebro humano. O computador tende a substituir o homem em uma gama crescente de atividades, e com grande vantagem. As principais conseqüências da Cibernética na administração são duas: a automação e a informática.

Automação: Ultra-mecanização, super-racionalização, processamentos contínuos e controle automático nas indústrias, nos comércios e nos serviços bancários. Com a automação surgiram as fábricas autogeridas: algumas indústrias químicas, como as refinarias de petróleo, apresentam uma automação quase total. O mesmo ocorre em organização cujas atividades ou operações são relativamente estáveis e cíclicas, como as centrais elétricas, ferrovias, metrôs, etc. Os autômatos, em cibernética, são máquinas ou engenhos que contém dispositivos capazes de tratar informações que recebem do meio exterior e produzir ações.

Informática: Tratamento racional e sistemático da informação por meios automáticos, associado ao uso dos computadores. Embora não se deva confundir a informática comcomputadores, na verdade ela existe porque existem os computadores. Na realidade, a informática é a parte da cibernética que trata da relação entre coisas e suas características, de maneira a representá-las por meio de suportes de informação, trata ainda, da forma de manipular esses suportes, em vez de manipular as próprias coisas. A informática é um dos fundamentos da teoria e dos métodos que fornecem as regras para o tratamento da informação. O processamento de informação levou ao surgimento do computador eletrônico, o qual deu início a era da informática. É uma ferramenta a disposição das empresas e pessoas, mas sua não utilização ou seu desconhecimento pode ser a diferença entre o sucesso e fracasso em qualquer atividade.

(mais…)

Pages (3): 1 2 3 »
PageRank
Follow Me

 

Assine nosso feed.

Categorias

Divulgue O Coruja

 

Assine nosso feed.

RSS Feeds